Um dia ainda vou aprender…



A melhor coisa neste mundo da informática é que podemos fazer delete e reset e puff; pozinhos de perlimpimpim, desaparece tudo ou pelo menos fica bem longe da vista. A memória humana poderia funcionar assim também. Sempre que se quisesse, pufff, lá se iam  todas as memórias ingratas que o tempo não quer apagar…


Detesto regras, sempre detestei, demasiadas regras e convenções, e é assim e assado e tudo e mais alguma coisa, põem-me a cabeça a andar à roda. Eu tento, juro que tento, mas não consigo fazer a mesma coisa durante muito tempo pelas regras dos outros, emburrece-me!!! Eu detesto tanto, mas tanto regras, que após um parto de muitas e difíceis horas, em que todas as regras apontavam para que eu saísse tantan, fui nascida mais ou menos normal, tão mais ou menos que chega a roçar o ordinário ( no sentido de comum).


Não entendo porque é que as pessoas mantêm diários em papel, não faz sentido. Para quê ter uma quantidade de folhas escritas com coisas que já se passaram e que têm que ser revividas antes de se escrever algo novo, quando este “novo” formato é muito mais natural. Escreve-se no dia, e vai ficando para trás, para trás, tal e qual como o tempo para deixar entrar novas escritas, novos pensamentos, novos dias e novos horizontes. Talvez por isso eu goste tanto de escrever aqui…o que escrevo agora amanhã já passou e e´ substituído de novo e de novo, conforme vão passando as águas por baixo das pontes…

Ou simplesmente esteja viciada nisto e me seja difícil não escrever seja o que for. Todas as possibilidades são aceitáveis, na medida em que as probabilidades de nada do que eu escrevo fazer sentido ao comum dos mortais serem altamente favoráveis ( não descobri ainda é a favor de quem)

Como feiticeira gosto de alquimia, a bem dizer gosto mesmo é de misturar tudo e “prontos”, no fim das contas não descubro a fórmula de transformar metais em ouro, mas descubro milhentas formas de passar o tempo, de me divertir e chorar e rir e brincar como uma criança e sobretudo de fazer companhia a mim própria e a quem tiver paciência de perder tempo a ler esta porqueira…

Fui…enfeitiçar outras freguesias.