Gostava tanto de saber onde é que as musas guardam as bolas de cristal…por certo que as têm porque só elas conseguem cantar o ainda está por vir…sereias na imensidão de um mar sem fim, que rebenta continuamente a sua força nas areias da praia que o acolhe…
Espuma e pó de sal, eis o que sobra em cada século, mas o importante permanece, simples, como se mais nada fosse necessário…porque foi do movimento incessante das ondas que nasceu a vida que hoje abarca a terra inteira…