O preceito era ouvir música e falar com as mãos…mas nem sempre os preceitos devem ser seguidos. Quando assim não pode ser, por motivos que a razão desconhece mas que o coração agradece…
Não consegui escolher uma música que me tirasse dos ouvidos a que ouvi hoje, nem cantar consegui, e tentei…tenho vindo a tentar por entre todo o trânsito que me impediu de chegar a casa mais cedo mas não há palavras cantadas ou música que me tire a que tenho nos ouvidos.
Tanto tempo…tanto tempo… e sempre a mesma música, certeira, ritmada, que me entra no ouvido em sussurros e segredos e fica cá lentinha ou forte e bate ao compasso certo de cada batida cardiaca. Tanto tempo…tanto tempo e outra que tenha ouvido não consegue superar este som angelical. E então um cumprir de um sonho de quem fala com os olhos e de quem ouve com o coração, e então o cumprir de um sonho de quem ama essa música muito para além da razão…
E então eu espero, serena, calma e em silêncio contido… eu espero que nasça o dia em que essa música se transforme em vida nos meus sentidos…