A natureza de se ser

O silêncio reina na casa outra vez, não porque o queira por cá, mas porque o rádio velho e gasto companheiro de longas esperas, de muitas labutas, de horas e horas gastas em chegadas, visitas e partidas, se calou. Nem todo o vil metal carcereiro pagará por ora um valoroso substituto do fiel companheiro.
Agora só a música presente nos meus ouvidos, na minha mente, preenche essas horas vãs, em que vento atenta contra as paredes da casa, encontrando por enquanto ali, uma valorosa inimiga.
Não terei medo jamais, mesmo ouvindo-lhe os gritos e silvos, calado que ficou o meu velho companheiro que me espantava o medo. Confio nas paredes desta minha casa para me protegerem dos pronúncios de tempestade.

E as paredes serão meus pilares, traves mestras testemunhas desta luta do ser contra a natureza de se ser

5 comentários em “A natureza de se ser

  1. Ser é estar e sentir,,,e assim vamos construindo nossos caminhos de sonhos,,,ao som da mais bela canção,,,do mais sereno vento que nos toca,,,,beijos querida e um dia de paz pra ti.

    p.s.não encontrei o quadrinho de seguidores,,,

    Curtir

Os comentários estão encerrados.