A originalidade do que é nosso

Todos temos um refúgio. Todos procuramos um espaço onde nos sentir seguros…deixar ocupar espaços que são nosso é vender a alma ao diabo e pagar o preço da indiscrição…
Todos temos lugares intocáveis, que ao serem tocados são conspurcados e apodrecidos por mão impuras que não compreendem a importância do ouro interno de cada um…


Se cada ser é único, serão únicas as ideias? os gestos? ou seremos programados a pensar na nossa própria unicidade como fonte de buscas incessantes, de repostas que não existem simplesmente porque as perguntas partem de princípios já infectados por pensamentos alheios?


Seremos realmente originais ou nada mais do que produtos de intrincadas contas de cabeça, programações e conjuntos de coisas já mais que vistas e revistas e combinadas de formas diferentes?

Viagens

Todos os dias são uma nova viagem em busca do que se procura, mesmo que não se saiba bem o que é. Mas duma coisa temos sempre a certeza…queremos esse presente embrulhado em muito amor e com enormes laços de amizade…

em memória daqueles para os quais o ódio os levou à ultima viagem e para todos os que viram nesse o seu último dia. Que o amor e a amizade entre nós não permita que o ódio volte a vencer…

Sinfonia de luz

http://www.youtube.com/watch?v=3VzM5uzwg-I&feature=youtube_gdata_player

Amor é a luz que ilumina a escuridão que traz a solidão, é a sinfonia dos sentidos. A música do corpo que emite a vibração imperceptivel que só sente quem está na mesma sintonia.
Amor é silêncio transformado em música que só ouve quem caminha na mesma frequência.
Amor é a calma que invade a alma depois que toda a estática das interferências se vai.
E assim numa sinfonia de luz dois corpos dançam unidos pelos sons do respirar das palavras.