Arco-ìris Humano

Sento-me na minha cadeira de pau em frente ao mar… passam cores, estações, passam minutos, horas, dias. Passa o tempo que vai pintando suas cores em estações que se dizem da natureza. Eu sentada na minha singela cadeira de pau, observo o mundo, as ondas, as indas e vindas das pessoas de acordo com as cores , com as estações.
Aquela sensação de energia que percorre todo o corpo com se um electrão abençoado se tratasse, preenche o infinito do meu ser e vejo a vida a passar à minha frente como se fosse um filme. E essa vida é minha e è a vida que está em mim, mudando cores, estações, imagens, segundo a minha vontade como se por um passe de mágica só a minha própria vontade fosse o motor impulsionador desse poderoso tambor divino que é o coração que bombeia vida em seu redor.
E o impulso electrico transmite felicidade e as pessoas em meu redor olham-se e vêem-se como se pela primeira vez, como se até aí estivessem cegas… e os defeitos não sobrepõe os valores… e o mundo apresenta-se perante nós com as suas verdadeiras cores e formamos assim um arco-íris…