Quem és tu? 
À entrada da porta, de novo esperas a chegada do que há de vir.
De novo por aqui?
Roupas diferentes escondem um mesmo interior agora aprumado, arestas limadas de um alguém que já foi e deixou de ser e de novo é. 
Assim se acha o que se perdeu – se transforma o que já era em reciclagem – de um ser que antes de perdido se achou;  nas franjas da procura, nem sabia de quê.
De quê?
Da simplicidade de se saber o que se é; da simplicidade de se gostar do que gosta; de esperar apenas aquilo que as próprias mãos nos dão.
De amar mais e mais: primeiro em mim, depois num tu e finalmente num nós que em conjunto, serão uns que se inventam
Que sou eu para o negar: mas sou para guardar ( guardo segredos de transformação humana, de gente que entra e sai, de vidas e vidas; guardarei para sempre, mesmo que um sempre não nos encontre num mesmo caminho)

4 comentários em “

  1. Que venha 2011, pois
    Será o ano do Sol a iluminar. Grandes e Pequenos Passos.
    Será ano Impar unilateral
    Será o ano do Coelho multiplicador

    Plante a semente da vontade
    Regue com o dose desejo
    E terá bons frutos para colher..

    Um feliz 2011 da Insana

    OBS desculpe a ausência nas festas..

    Curtir

Os comentários estão encerrados.