Comandantes do destino

Há sempre aqueles que marcam a nossa vida com toques de revolução e gritos de liberdade. Comandantes das suas vontades – mostram-nos que viver é muito mais que um aglomerado de dias, que um enrolo de vivências, que temos medo de desembrulhar-, são especiais, diferentes, nem sempre utilizam os melhores  meios para atingir fins, mas nada em seus atos transporta coincidência.
Em nós ficam as marcas das lições arrancadas da consciência quase a ferros. Chegados ao final de uma jornada, as provas são dadas. Sabem-se que os caminhos que seguimos são fruto das nossas escolhas, daquilo que pretendemos para o que virá. É nessa altura que começam a ser desnecessárias as ilusões em excesso, ficam apenas as que são fruto da necessidade intrínseca ao viver. Palavras vazias de sentimento não tocam já campainhas:  não abriram portões que se mantiveram fechados.
Atingida a tão querida liberdade, ficam os companheiros de luta – que nem as lembranças desbotadas das fotografias antigas apagarão – fica amizade, o reconhecimento, mas cada um deve seguir aquele que é o seu próprio caminho e que cada um, com as suas atitudes, escolheu. Os erros cometidos em nome da transparência ficam esquecidos no pó da história, as cicatrizes da guerra acabarão por sarar. Mas a liberdade conquistada essa será mantida ao som da luta diária, para não esquecer o que foi ensinado. Cada dia conta…para conquistar os sonhos…

4 comentários em “Comandantes do destino

  1. =D, Hasta siempre e agradece todos os dias aquilo que te ensinaram. Cada dia conta. Eu vou gostar sempre de ti ( esta coisa dos sempres e dos nuncas…lololl)

    Curtir

Os comentários estão encerrados.