Danças?

Danças?
Não sei dançar…
Não sabes? ( risos descontrolados, de quem goza despropositadamente com o que se desconhece poder desconhecer)
Como é que não sabes dançar? toda a gente sabe! É só mexer o corpo, levantar os pés do chão, deixar a música entrar em ti, tomar conta dos pensamentos. O resto vem depois… lentamente a música fará as tuas sinopses e deixas de ser tu, mas a música, que controla todo o teu sistema, percorrerá todos as mínimas terminações que darão as ordens ao corpo para se mexer. Tu não tens que fazer nada, só ouvir.
Olho com os olhos demasiado abertos e a expressão assustada de quem não entende nada do que acabou de ouvir. Tentava ligar todas os passos do que me fora ensinado:
Ouvir a música, deixá-la entrar na cabeça… ou seria no corpo ou nos ouvidos? (como se faz isso, como tenho a certeza que entrou, e estarei a ouvir o que os outros ouvem?a fazer os movimentos que são devidos?)  E mexia-se o quê mesmo? os pés?
Deste-me a mão descontraida.  Dei o primeiro passo… foi quando a senti ( não entrou como me disseras, mas percorreu) o coração apresentou-se e sentia-a tão minha amiga como tu o és. Não precisei de ordem mental, nem de recordar. Precisei apenas, como numa sincera amizade, que fosse eu. Um pé, um braço, movimentamo-nos as duas, eu e a música, sem pedir licença ou perdão por um movimento desconjuntado, é apenas sensação, movimentação…
Podes fechar os olhos, não vais cair. Agora que a deixaste entrar, a música forma um ser apenas, com cada um de todos nós. Chama-se libertação, quando deixas de pensar naquilo que tens que fazer e fazes só aquilo que te permites pensar…