Inspirei-me








Inspirei-me…

De onde vim?
Pergunto-me muitas vezes qual foi a massa genética que me moldou.
Percorri caminhos nunca trilhados, sonhei sonhos nunca antes sonhados.
Num rasto de nuvens vi paisagens…tempestades e bonanças.
Dormi ao relento ao luar.
Bebi as águas das fontes que nunca ninguém achou, que jamais serão encontradas.
De onde vim?
Caminhei por entre os trilhos dos sonhos, vendei os olhos para poder sentir, deixei que a música me guiasse o coração…
Foram desertos de paixão, oceanos de solidão, foram chuvas de suores de prazer e um sol quente que secou vontades…
De onde vim?
Um dia tocou um sino. Eram badaladas. Meia-noite, seria?
Eram os olhos de menina que no ar que respirou, sentiu inundar-lhe a felicidade de um mundo que só ela conhecia.
Seria meia-noite? Ou seriam as outras metades do dia? E depois que mais viria?