Impulsos

Num impulso…e tudo muda. Iluminam-me os seres de luz que se passeiam, em frente a meus olhos, e que eu admiro . À minha volta tudo se transforma, muda, reforma-se, mas a minha lentidão adapta-se expandindo como se fosse a menina dos olhos que absorve a luz, captando tudo. 
Tento agarrá-los, prende-los na mão, guardá-los para sempre, para que nunca se perca a sensação de luz que me invade na sua presença…mas as mãos não prendem o que nasce para ser maior do que a própria admiração. Num impulso, liberto. Antes que se estrague, que os estrague. É no seu próprio voar que reside a luz. Liberta, voam ao meu redor, como sendo parte de mim. E tudo parece estar no seu lugar, dentro de mim, como num impulso onde, tudo de reinicia. 

Um comentário em “Impulsos

Os comentários estão encerrados.