Das pedras

E porque estamos no novo ano, hoje, finalmente , ao fim de tanto tempo, a poesia parece querer voltar a crescer, em mim…

   

Diz-se
que das pedras
nada nasce
diz-se
que num coração partido
não se encontrará abrigo
mas nada disto condiz contigo
Foi das pedras que te apanhei
como semente estéril que floresceu
 
Fui no deserto encontrada
como que por magia, febril
 
Mudo: o que aconteceu
renova-me a esperança
A cada gesto pequeno
afasta as pedras
para que cresças
em mim