As palavras que não direi

Gostava de dizer que me apaixonei por ti mas não consigo. Não temos nada a ver. Temo de novo o vazio porque mais nada existe senão a existência. Coisas e coisas e coisas para fazer. E eu? Que viverei eu afinal ? Haverá despertador possível que me acorde para a vida? Enquanto isso durmo e sonho com o dia em que ouvirei o que ainda não ouvi dizer. E esse é o único objectivo que me falta alcançar, apenas e só porque nunca dependerá de mim

e ainda assim dizias que me amavas, tal como dizias que a carne estava salgada, que ia dar futebol, ou que não te apetecia chegares-te a mim. São essas as únicas palavras de amor que ouvi, para além das barbaridades que gostavas de dizer e ouvir no calor da emoção

Foi assim que descobri o que não quero para mim. E só acordarei de novo quando alguém disser as palavras mágicas que abrirão, as portas deste coração.

Depois mudei. E sonhei que me diziam as mais belas palavras de amor, as que sempre sonhei ouvir. Mas não disseram …

E agora chegas tu. Despertas atenção. Mas as palavras que dizes não chegam para me exaltar o que se apagou cá dentro. Gostava de dizer que me apaixonei por ti mas mais uma vez apaixonei-me,de novo, pela ideia da paixão, pela ideia de poder de facto viver uma paixão. Mas não. Ainda não é desta.

… e não dou mais nada a quem não sabe o sabor do meu sangue,que escorre desta ferida aberta. E não dou mais nada…