Bugs Radioactivos

Sim, sim, sim. Tenho um daqueles problemas de não conseguir estar quieta em lado nenhum. O que se torna difícil, nalguns casos, para conseguir seguir com um projecto para a frente ou tentar que se entenda o que na realidade estou a fazer. Geralmente os projectos ( muitos) estão todos (des)arrumados nas prateleiras ou em lugares onde lhes possa facilmente aceder para no momento em que as coincidências ou destino fazem click, estar pronta para os sacar do “bolso”, da minha cabeça, onde os guardo para os trazer à luz do dia.

Tenho guardado um formigário. Dizem que as formigas constroem, longe da vista, grandes canais, tuneis e uma sociedade perfeitamente organizada.
Tenho saudades do meu aquário, mas as contingências da crise levaram-me a desliga-lo, por questões de força maior. O que mais gostava no aquário, era poder ver, através do vidro, a sociedade piscícola no seu habitat ( mais ou menos) natural. Com o mínimo de interferências os meus peixinhos viviam e mostravam aquilo que conseguiam fazer na conquista da selecção natural.  O formigário, pretende ser a substituição possível do aquário, que fica guardado para melhores dias. Em casa dos meus pais, dar vida a um formigário parece-me uma ideia um pouco surreal, por isso o mantenho guardado. Mas eis que uma nova oportunidade parece surgir e no meio de tanta coisa para reorganizar e preparar, lembrei-me do formigário. Porque, para se recomeçar alguma coisa de novo é necessário projectá-la para o futuro e a minha nova morada, terá que ter, sem dúvida, um lugar onde a natureza se vai confundir com a minha forma de perspectivar a vida. Com sonhos, muitos sonhos e música à mistura…

[Verse 1]
I’m waking up to ash and dust
I wipe my brow and I sweat my rust
I’m breathing in the chemicals
I’m breaking in, shaping up, checking out on the prison bus
This is it, the apocalypse, whoa

 I’m waking up, I feel it in my bones
Enough to make my systems blow

Welcome to the new age, to the new age
Welcome to the new age, to the new age

Whoa, whoa, I’m radioactive, radioactive
Whoa, whoa, I’m radioactive, radioactive

[Verse 2]
I raise my flags, dye my clothes
It’s a revolution, I suppose

We’ll paint it red to fit right in
Whoa
I’m breaking in, shaping up, then checking out on the prison bus
This is it, the apocalypse
Whoa

All systems go, sun hasn’t died
Deep in my bones, straight from inside

                                                                             Imagine Dragons
                                                                                    Radioactive