Assim. Crescendo e aprendendo.

Costumava achar que quando fosse grande ia ser tudo diferente. A verdade é que tenho exactamente os mesmos 162 cm do que à 20 anos atrás e as diferenças não são por aí além muito diferentes.
Hoje foi a festa de despedida do 1º ano do 1º ciclo do meu “canino”. Música diversão e muita alegria. Para os pais também. Talvez os assuntos tenham mudado um pouco, é verdade. Mas acabam ainda com umas boas gargalhadas e algumas piadas sobre o que se é e o que ainda se pode esperar ser, embora as realidades tenham mudado e agora sejamos nós a ditar as regras.
Vi a barriga de esperança de uma amiga que fiz, exactamente na mesma altura da vida em que o meu Afonso se encontra agora, e lembrei-me que me tinha lembrado dela, num dia em que lhe encontrei expressões num pequeno fruto que também lhe pertence, tal como as encontro também na face dos meus. Os sonhos que também já tive…sorrio para a vida sempre que encontro um pouco de mim a projectar-se para o futuro, tal como sorrio quando encontro nos que me acompanharam ou acompanham ainda, as mesmas sementes a quererem vingar. É que para plantar algo para crescer e transcender é preciso alegria e esperança mas sobretudo muito de coragem. Um sinal dos tempos, que aprendi vivendo e fazendo viver: apesar de não ter crescido muito, não sao só as alturas que nos fazem ser. Assim.Sem mais.