Dês_ ilusão

Criteriosas são as palavras que escolho, os lugares onde me acolho para fugir da vulgaridade
Dos dias sempre iguais.
Fujo do passado .
Escondo-me do futuro na esperança que só a sinceridade me acolha em seus braços.
Já não espero a felicidade. Talvez ela me encontre, por uma qualquer coincidência, dessas em que eu não acreditava mas agora peço diligentemente, nas minhas orações a uma força maior, que existam para que possa voltar a acreditar no poder das boas intenções, sobre a vontade de chegar a algum lugar a todo o custo. Sou contra o custo da vida. Não acredito em contas por pagar a quem não merece receber o que não dá.

Perguntam-me se acredito

Acredito na sinceridade de um gesto, na subtileza da palavra de conforto, no abraço da espera de quem sabe que o peso foi maior do que os ombros conseguiam carregar. Não quero que me empurrem para a frente. Não quero ter mais para caminhar. Quero o entendimento simples daqueles que escolhem, apesar de todos os pesares, de todos os azares,ficar ao lado, presentes, a ajudar, porque os dias maus são a constante de quem vive  deste frenesim que é a desilusão.

 

2 comentários em “Dês_ ilusão

    1. Dizem que sim. Quando deixamos de acreditar em alguma coisa ou em alguém morre-se um pouco. Há desacreditações difíceis de suportar.
      Boa semana Nilson. Obrigada por gostares de ler o que escrevo.
      Beijinhos.

      Curtido por 1 pessoa

Os comentários estão encerrados.