Do bom e do menos bom

Hoje o jantar foi à luz das velas. Que romântico dirão vocês, que prático direi eu, já que os mosquitos não são por aí grandes amigos do fumo e do queimar do incenso ( sim também houve incenso).
Por esta altura, enquanto escrevo, os miúdos tratam da saúde aos mais audazes que entram dentro de casa e lhes perturbam a serenidade. Por mim, já me habituei. Há 30 anos ou mais que para aqui venho e não me lembro nunca de um Verão sem mosquitos. Vai ser difícil habitua-los a sermos só os 3. Vai ser difícil explicar-lhes que todas as coisas boas têm também um lado difícil. O chá pós-prandial bebi-o sozinha. Mas não desisto de querer que aprendam a gostar de tudo isto, que apesar dos bichos parasitas, é o melhor que a vida tem…