Sem mais…

Faltas-me tu.
No rodar da chave que a abriu, a porta do meu futuro, faltou o teu sorriso de aprovação. 
Faltou-me o teu sonho abraçado ao meu, na projecção das estéticas, que acompanharão a paz dos dias simples que se aproximam. Uma por uma as receitas de amor foram preenchendo os espaços que estavam aparentemente vazios. Tomaram a tua forma. Já moras connosco,  estas em cada recanto, em cada pormenor,  em todas as pequenas coisas, que construirei, para que te sintas em casa.
O sucesso desta empreitada depende também do tamanho do que a tua compreensão consegue fazer por mim.

Porque uma morada não são só paredes, nem o nome de uma rua, nem tão pouco um lugar onde se chega para descansar o corpo.  Uma morada é o lugar onde sonhamos amar os que queremos connosco para partilhar o tempo que nos é dado, onde nos apoiamos e onde encontramos a segurança de sermos nós,  sem ser necessário mais …

2 comentários em “Sem mais…

Os comentários estão encerrados.