Nas tuas mãos

Hoje voltei a olhar as estrelas e vi os teus olhos nelas. Como os caça sonhos que sentem o vento para se embalarem também te procuro no que mais te admiro para  te sentir. 
Os teus olhos são as estrelas que me guiam no caminho por que segue a minha vida. Mesmo quando não os olho, os teus olhos,  sinto-os no percursos do meu corpo, como se quisesse que visses todos os meus progressos.  Mesmo quando se escondem, por trás dos vidros foscos que embaciam os nossos dias,  imagino os gestos ternos mas seguros das tuas mãos que me indicam a direção certa. São as tuas mãos, amor, são as tuas mãos, são as tuas mãos que me levarão onde sempre quis ir.