Memórias, palavras

Na casa dos telegramas

... e o que eu gostava de te contar o que sentia? Mais a ti do que a qualquer outra pessoa a quem já o tivesse feito. As tuas respostas têm um sabor diferente Nem sei porquê,  as tuas respostas sabem-me a querer contar mais, a querer dizer mais a querer esmifrar o sentimento até… Continue reading Na casa dos telegramas

Anúncios
palavras

Gosto de escrever diários.  Não por saudosismo, mas porque me arranjo neles e é esse tambem o espaço que arranjo para ti, dentro de mim.  Se te dissesse as vezes que entras e sais de dentro do meu pensamento julgavas-te a ti próprio ladrão.  Ladrão de memória, que le levas a concentração e a integração… Continue reading

palavras

Sem motivos

... e é por isso e só por isso que a um pássaro já ferido não se pode atirar-se ao coração.  Há limites, também por la. Nem tudo cabe num coração sem sustento. A inconviniência do gesto ditou-lhe o futuro. A ave caiu do céu. Rasgaram-lhe as asas, esventraram-lhe o pulso. Serviu de caça.  Nada… Continue reading Sem motivos