Prelúdio de Natal

Acho que é suposto, por esta altura do ano, fazerem-se balanços, rectrospectivas, planos listas e coiso e tal. A vida ensinou-me que, coiso e tal bago de uva, o melhor é dar graças por o que temos, todos os dias.” Retrospectivando”: prefiro sempre o futuro, num regresso a um converter de fraquezas em forças.

Já trouxe as luzinhas e os pisca-piscas cá para casa, a lareira já vai aquecendo o ambiente e, na verdade, o que desejo neste natal é mais de mim própria. Mais tempo para mim e para os meus, mais tempo para o que realmente importa. Jantares estilo piquenique na sala, brincadeiras à nova era, cada um com a sua tecnologia mas sempre todos juntos, parvoíces e gargalhadas… e depois disto e do atraso para o jantar, feito com “tanta vontade” e pressa pelas horas tardias, ainda ouvir: ” mãe, eu não gosto muito disto e além disso não tenho muita fome… Vale sempre pela intenção