Tenho dias!

Levo a minha vida como se ela fosse um projecto e é esse o método que tento utilizar para a (sobre) viver. Quando tenho um problema, quase sempre tenho determinados objectivos , faço uma revisão daquilo que já sei, do que outros sabem e das várias formas ou fórmulas utilizadas por outros e traço o meu rumo, tiro as minhas próprias conclusões. Nem sempre atinjo os objectivos mas o erro humano é uma das características que nos torna tão especiais e deve ser por isso que o defendo tanto – nos outros. Lidar com o erro dá uma carga de trabalhos – trago isso bem impresso no corpo, por estes dias. Ainda assim vou tentando como posso ou como consigo manter-me fiel a planos que tracei e a alguns objectivos enquanto vou tentando desembaraçar- me dos problemas e resolvê – los.

A humildade não nasce connosco, aprende-se, procura-se, cultiva-se tal e qual como se aprende a lidar com as falhas e os erros inerentes ao ser humano.

Todos os dias me adapto, todos os dias procuro melhorar, nem sempre consigo.

Mas em tudo isto, a melhor sensação é a de chegar ao final do dia e saber que tentei, que me esforcei, que fiz o melhor que sabia. Nem sempre é o melhor que podia, mas tentei. Conseguir é uma coisa completamente diferente e em mim não vale tudo para chegar onde quero. Hoje foi isto. E a sensação que contínuo a tentar, apesar do peso que transporto por respeitar o erro humano.
Amanhã será sempre um novo dia!