Dêm-me uma arma e eu exploderei o vosso mundo

Como mudar o mundo em 18 dias ( em que estive ausente deste blog? ) ? explode-se com a vida de inocentes. Esta é, infelizmente, uma forma que se começa a tornar comum de chamar a atenção. Paro para pensar e apercebo-me que há tanta coisa que não está bem, que se calhar, se pensarmos um pouco, explica-se o porquê. Explicações não são justificações. Nada justifica a violência gratuita e a violência , infelizmente, está enraizada no nosso dia a dia. Na forma como respondemos ao próximo ou como o ignoramos, na forma como não dizemos mas o nosso corpo transborda desprezo pela opinião alheia, no menosprezo que damos ao que nos fala, à forma peculiar como adoramos hoje “deitar abaixo” o que não entendemos ou não nos é semelhante. Não são só eles, somos nós. Somos todos assim, hoje em dia, “eles” são apenas um reflexo do mau, do péssimo, do pior processamento possível, da informação que se retira do mundo que nos rodeia. Basta olharem à vossa volta. Ódio gera ódio numa espiral descontrolada. Não nos podemos esquecer, nem sequer fingir que não entendemos, que estamos em guerra, uma nova forma de guerra, mas estamos sobretudo numa altura em que devemos reflectir muita bem nos valores que passamos aos nossos filhos, porque são esses valores que os poderão vir a salvar do tal ódio com que as guerras se iniciam…