À procura dos sentidos

Sou como as 24 horas deste planeta. Uma parte de mim é dia, outra é noite. O Janeiro desperta-me o lado lunar. Às vezes não é bonito de se ver. Garanto-vos, pior é de se sentir. Por estes dias busco em mim tudo o que aprendi sobre sobrevivência, só para me manter fora do eclipse. Por vezes consigo, noutras o esforço tem que ser maior. Ainda assim estou muito satisfeita comigo. Depois de uma semana que foi uma verdadeira prova de resistência, a terminar num sprint, consegui cumprir com o prometido aos miúdos. Só isso é o bastante. Um a um, os objectivos para o primeiro trimestre estão a ser atingidos. E eu satisfaço-me por conseguir distinguir o essencial do acessório. Às vezes ainda me perco, mas em pouco tempo regresso sã e salva e agradecida, porque tantas vezes perdida é a melhor forma de encontrar o que sempre se procurou.