Saber perder

Preocupo-me que não desmoralizem com o perder. A motivação é o primeiro passo para nos excedermos, mas isso não quer dizer que o consiguemos sempre.

Quem me conhece sabe que digo muitas vezes que é muito importante saber perder. Isso não invalida que não tenhamos também que aprender a ganhar ( a forma como demonstramos as nossas vitórias diz muito de nós) ou que fiquemos satisfeitos com a mediocridade. Não podemos ser sempre os melhores, mas podemos e devemos ser bons, sendo que bons é uma palavra de uma dimensão imensa e com muitos significados.

O Domingo começou de novo cedo, foi dia de jogos outra vez. Nos dias em que cada um joga para seu lado há que dividir as tarefas. O que não se consegue é dividir o coração. O meu esteve em Beja e em Santo André. Como o futebol está sempre garantido pelo outro progenitor, calha-me quase sempre o Hóquei. E não calha mal que é um jogo com muito mais emoção e eu, como se sabe, gosto de emoções fortes ( às vezes demais, mas isso é um pormenor) .

Perdemos em ambas as frentes. Mas perdemos bem e isso é o mais importante, desde que não se perca a motivação: perder agora, para ganhar depois. Batalhar e trabalhar por  um objectivo é o que nos mantém vivos. Comprometermo-nos a fazer melhor é um dever. No final ganha-se sempre qualquer coisa, nem que seja a noção que está alguém a torcer e que acredita nas nossas capacidades. Disso eu não abdico. Quero sempre que saibam que estou ali, que acredito neles e que sei que vão dar o melhor, mesmo que não consigam e saia tudo errado, eu estou lá, senão em presença, em coração, para dar o meu apoio.

Para a semana há mais. Com ou sem Vitórias.