Ontem foi um dos meus dias

O meu dia internacional do enfermeiro começou a rir e explico já porquê. Há 21 anos quando entrei no curso de enfermagem éramos acérrimos lutadores contra o estereótipo da enfermeira ” boazona” de seringa na mão. Aliás éramos um curso muito interessante de acérrimos defensores de todo o tipo de estereótipos da enfermagem. Quando terminei o curso o carro alegórico onde nos passeamos pelas ruas de Coimbra adivinhem o que levava no topo? Essa mesma, a enfermeira de seringa na mão.

Hoje de manhã não pude deixar de me rir quando anunciaram o dia internacional da enfermeira ( colegas tenho muita pena mas o dia internacional é só do género feminino – e isto daria linhas e linhas para as meninas do bloco poderem defender uma nova causa fracturante) .  De qualquer das formas fui brindada ao longo do dia com inúmeros mimos com a enfermeira de seringa na mão a comemorar o nosso dia.

É engraçado como ao longo do tempo a nossa perspectiva das coisas vai mudando. O estereótipo mantém-se mas hoje já não me incomoda nada e aprendi a lidar muito bem com algumas situações constrangedoras. Que o digam os engraçadinhos que por algum motivo tiveram o azar de pisar o risco para lá dos limites do aceitável… Adiante … Muitas vezes até me fazem rir às escondidas, o ser humano é impressionantemente lento no desenvolvimento sociológico das mentalidades.

Hoje são muitos outros os problemas da enfermagem que me preocupam e que me retiram a vontade de rir. Este vídeo descreve bem o que vos quero transmitir e o que a bastonária hoje quis demonstrar nas várias entrevistas na televisão. A saúde de todos só está salvaguardada se a saúde dos profissionais também o estiver e o número reduzido de profissionais é um risco para todos.

( e agora lembrei-me do secretário de estado que dizia que comia enfermeiros  ao pequeno almoço – quando nos referimos que o aumento do número de horas para 40 horas semanais era injusto um risco e lesivo  e que o nosso salário não corresponde à responsabilidade das nossas funções e pergunto-me se ele estaria a pensar no estereótipo ou nos meus caros colegas de quem a rádio comercial se esqueceu hoje – eheheheh just jocking)

Obrigada a todos os que se lembraram de mim. É que apesar de tudo contínuo a adorar esta maldita profissão 😀