Das coisas banais que fazem os nossos dias melhores

Depois de mais uma jornada dupla de noites, enchido o depósito do carro ( que não gosto de chegar a casa sem gasolina, não vá ser preciso. alguma coisa de urgência e não ter como me desenrascar) chego a casa pronta para o descanso e eis que o l(ar) se encontra infestado.

Sempre gostei de animais. Durante muito tempo, fiz uma pausa neste meu gosto, porque significava despesa extra. Há coisa de um mês, não consegui negar o pedido do mais pequeno e toca de tartarugas para casa. Já tinha local para as colocar , acabava-se com o peso que sempre teve na minha mente o aquário vazio e voltava a ter pequenas criaturas de quem cuidar. Assim tem sido.

O pior é que os bichinhos não têm nada de asseados e tem sido um trabalhão para conseguir dar alguma dignidade ao espaço que elas ocupam e ao ar da sala depois da sua chegada. Apesar de ter mudado a água há 2 dias, não há nada mais satisfatório do que chegar a casa, com vontade de descansar e ter que mudar água de um aquário. Provavelmente há alguma coisa que não fiz bem, ou que não estou a fazer da melhor forma. O que me leva a ter que pesquisar sobre o assunto para perceber o que não está bem. É que estamos à espera de um novo membro para a família e não  me apetece nada andar a mudar água a cada 2 dias . Por agora ficou bem assim. Depois verei o que terá que ser melhorado . E as quanto à nova menina? UI, só estamos à espera que seja desmamada, para lhe abrirmos os braços. Finalmente vou deixar de ser única nesta família de crianças saudáveis ( sim, não me esqueci do dia da criança e sim ainda me considero uma, mas entre trabalhos nocturnos é impossível festejar comigo seja o que for, porque sem dormir tenho um humor de cão raivoso) . Até já!