Regresso às origens num simples dia de praia

Acredito que as melhores coisas começam assim, de uma brincadeira ou das saudades que temos de brincar e rir à vontade. Esta história começou assim. Um reencontro, no mesmo lugar e a tristeza pelas diferenças sentidas por nós, que sendo os mesmos, deixámos quase de reconhecer o local. 

Daí à acção foi um instante, que contínuo a pensar que, quando algo está mal, muito melhor do que criticar é agir. Agir em conjunto é sempre muito melhor, especialmente se isso nos trouxer de volta pessoas com quem gostamos de estar e de quem temos saudades. Foi assim que nasceu este regresso às origens. Espero que adiram e adiram em massa. Muita coisa nasceu porque aquele lugar existe e não foram só crianças! Nasceram amizades, memórias comuns, ideias e ideais, paixões e ódios, perdas e frustrações, caminhos de futuro e outras tantas ilusões. Tudo o que caracteriza o ser humano, portanto. São estes os lugares das nossas vidas que temos o dever de cuidar e preservar de todas as formas que conseguirmos. De todas as coisas com que nos devemos preocupar, os lugares onde já fomos felizes são, de facto, algumas delas. Mesmo que pareçam lugares comuns.