Onde estavas tu? Parte II

Ainda na série “Onde estavas tu?” redescobri o dia 28 de Setembro de 2015. Já faz um ano que uma família como a nossa chegou a Portugal, fruto da boa vontade e da empatia de quem não tem medo de fazer o bem, sem olhar a quem. Já não é a primeira vez que sinto muito orgulho do que fazem os meus amigos e esta foi de facto uma dessas vezes Continuar lendo “Onde estavas tu? Parte II”

Onde estavas tu? 

Sou a ” Maria das frases feitas” utilizo-as geralmente de forma irónica ou humorista “parafraseando” alguém ou alguma expressão que me ficou no ouvido. Pensado bem, talvez sejamos todos um pouco assim, porque só assim se explicam as “modas” de determinadas expressões. Partindo daqui, a expressão onde estavas tu ( originalmente no 25 de Abril de 74) de um sketch , se não me engano, do Herman José é uma das frases que uso muito. Hoje lembrei-me, onde estaria eu no 27 de Setembro do ano passado?  Continuar lendo “Onde estavas tu? “

As curvas e contra curvas da vida 

Não me lembro como a descobri. Não costuma andar nos circuitos que frequento, o que é certo é que que dei com as suas songs of origin e foi um sentimento de identificação. Em tudo, nos sons, nos videos que produz (ou que produzem para si) no visual, enfim, parece-me que temos um imaginário comum. Desde que descobri que na app do SoundCloud posso ouvir o que quero sem pagar, não hesitei em trocá-la pela app do Spotify. Não sou grande fã de ouvir música em modo aleatório, a não ser que esteja a fazer qualquer outra coisa e não a ouvir realmente . Além disso se posso ter o que quero de graça, para quê pagar? Continuar lendo “As curvas e contra curvas da vida “

Sábado à noite 

Comecei por adorar o nome logo que ouvi falar desta música. Parece-me que será mais ou menos como a história da coca-cola, primeiro estranha-se, depois entranha-se. Foi o final da música que me cativou. Fez-me lembrar a minha vida tal e qual como ela é.  Continuar lendo “Sábado à noite “