Sábado à noite 

Comecei por adorar o nome logo que ouvi falar desta música. Parece-me que será mais ou menos como a história da coca-cola, primeiro estranha-se, depois entranha-se. Foi o final da música que me cativou. Fez-me lembrar a minha vida tal e qual como ela é. 

Os dias ainda são compridos, é sábado à noite e o jantar foi muito mais tarde que o costume porque o jogo do mais velho acabou tarde ( grande vitória!) mas os miúdos adormeceram mais cedo do que é comum, porque também estavam cansados. Aproveitei para por em dia as tarefas de limpeza e sobram-me ainda alguns momentos para respirar fundo e procurar a música que queria ouvir desde que soube que tinha sido lançada. Recordei esta, que continua a ser uma das minhas favoritas de todo o sempre porque, lá está, me recorda o momento mais importante dos últimos anos da minha vida. Continua actual, para mim, infelizmente. Conto até 3 e continuo a querer ser feliz. Invento o meu paraíso assim: amanhã vamos até ao Algarve, acabar a pré-epoca.

Do que sinto mais falta é de um concerto destes, mas não se pode ter tudo. Por hoje é tudo, mas não vos deixo sem deixar mais vestígios de um álbum que marcou um tempo que não quero que volte