Gosto de rituais, sempre gostei. Não sei se me vem da educação católica ou se simplesmente sou assim porque sempre me fascinaram as inúmeras e mirabolantes formas que o ser humano encontra de se relacionar com o mundo que o rodeia. Ironicamente ou não, a minha vida não se propicía a rituais porque o trabalho por roulement tem tudo menos características de ritual. É muito difícil ter um roulement certo e como tal é muito difícil cumprir rituais. Hoje consegui cumprir um dos meus rituais favoritos. O do chá e da meditação sobre o estado em que está a minha vida, onde estou e onde ainda quero chegar, se conseguir

Os primeiros rituais que me fascinaram foram os católicos. Depois apaixonei-me pela cultura Celta, a seguir descobri o budismo e o seu prezar pela calma e o silêncio e esse passou a ser o meu grande objectivo, atingir a suprema sabedoria de saber estar calada. Infelizmente tem sido difícil. Sou péssima a calar-me perante aquilo que considero injustiças e muito por culpa disso tenho sofrido algumas consequências e injustiças também. 

O que me vale é que descobri também que ao contrário do silêncio, as nossas palavras podem sempre ser usadas contra nós, o que me dá ânimo para continuar a tentar. Um dia ainda vou conseguir ser tão clara nas minhas palavras que até vai parecer que estive em silêncio. Quanto à calma, …, bom, tendo em conta o que me rodeia, até nem me saio nada mal!