Sempre a sorrir ðŸ˜

Tenho conseguido manter o ritual do chá. Ainda agora, aqui, à espera que o meu mais velho volte do treino, com o jantar pronto e completamente estoirada, já sonho com o chá que vou beber depois de levantar a mesa, preparar a roupa para o mais novo vestir amanhã e finalmente esticar o corpo e ler mais um pouco do livro, que já tenho outro na fila de espera. 

Os dias já são maiores. Fevereiro é a promessa de que não pode chover para sempre, de que o dia sempre volta após a noite. 

Em Janeiro parei um dos antidepressivos por ordem médica. Janeiro é sempre o pior mês do ano portanto o melhor para retirar medicação. Até agora tudo bem. À excepção de um aumento da necessidade de sono e alguns dias de mau feitio, que se curam com 2 a 3 cafés por dia e a paciência dos que me aturam, está tudo a correr pelo melhor. O sono é reparador, mesmo quando é muito, mas sempre tive muita necessidade de dormir, desde pequena. O antidepressivo que sobrou, provavelmente, segundo o que o médico me explicou, será para a vida. Não me importo, desde que não volte a sentir-me como me sentia. Um dia de cada vez. Um passo atrás do outro.