a great big world, da nossa vida, filosofias existenciais, palavras, Poesia, T(extos) E(ntre) S(onhos)

Monte da saudade

Há dias assim, em que a quantidade de coisas que faço parece ser uma forma de não pensar em nada. Uma espécie de paracetamol natural da saudade. " Para não ser tão mole" no sentido duplo que pode ter a frase...A remodelação da cozinha vai a braços com a minha imaginação e o meu trabalho.… Continue reading Monte da saudade

Anúncios
a educação ao próximo, a great big world, natural como só eu, palavras, receitas para viver melhor, rir é o melhor remédio, Ser

É na diferença que está o ganho 

Valha-me o sentido de humor! Quando li a primeira notícia sobre a reacção das nossas "miúdas de estimação" ( ao melhor estilo "gaja") aos comentários do sr Dissenqualquercoisaqueaquilosaodemasiadasletrasjuntasparameugosto, pensei cá para os meus botões: Irra que lá estão elas a ferver em pouca água! Como se não houvessem coisas bem mais importantes neste país que… Continue reading É na diferença que está o ganho 

a great big world, da nossa vida, filosofias existenciais, Memórias, natural como só eu, palavras, receitas para viver melhor, Ser

Uma espécie de poder 

Março está a ser um mês que não aquece, nem arrefece. Às vezes também faz falta tempos destes para nos dedicamos à introspecção. Gosto de pensar. De pensar na vida, nos porquês das coisas, no porquê de sentir o que sinto e de fazer o que faço. Talvez por isso por vezes demoro demasiado tempo… Continue reading Uma espécie de poder 

filosofias existenciais, natural como só eu, palavras, rir é o melhor remédio, Ser

Depois de um dia bom…

Amanhã será, de novo, o dia da mulher. O tal dia que, até à poucos anos, considerava desnecessário, por não me ter em menos conta que um qualquer homem, para necessitar ter um dia comemorativo, que lembre que a mulher deve ser protegida.  Até ter o 1° filho, depois o 2°. Ainda considero não ter… Continue reading Depois de um dia bom…

a great big world, da nossa vida, natural como só eu, palavras, receitas para viver melhor

A diminuir os efeitos dos anos que levo disto 

Tenho andado nas noites. Dito assim parece que tenho andado a divertir-me nesta época de carnaval, mas nem por isso! É trabalho, mesmo.  Nunca fui muito a favor desta coisa que nos inventaram como horário e que se chama roulement. O horário rotativo, a meu ver, acaba-nos com os ciclos circadianos, ainda mais do que… Continue reading A diminuir os efeitos dos anos que levo disto