A diferença entre o ser e a solidão

O período grande das férias está a terminar, este ano muito mais cedo do que é costume e por isso menos aproveitado. Não faz mal. Saio destas férias com 40 anos “do lado da pá”, um filho adolescente a iniciar os seus maravilhosos verões de juventude, pronto para ingressar no 10° ano, outro filho a entrar no segundo ciclo e eu a continuar a sentir-me uma menina grande. Por mais que me tente convencer não consigo encaixar esta coisa dos 40 anos. Isto será normal ??? 

Se calhar é mesmo só um número, como me disse a minha S. no melhor abraço telefónico que recebi nos últimos tempos. Porque isto da idade tem de facto coisas mesmo boas e a principal delas todas é só darmos importância a quem merece e a quem merece o melhor de nós. Já não existem perigos de más influências e quem ficou segue para a frente comigo. Essas pessoas especiais que se mantiveram e entretanto entraram na minha vida têm de mim tudo o que pedem e o que posso dar. Do resto não rezam as contas do Rosário da minha vida e mesmo sem companhia, quando fecho os olhos para descansar, a verdade é que já não tenho medo da solidão. 

A solidão vem de dentro e só existe se deixarmos que ela aconteça. Já tive muito mais gente ao meu redor e ainda assim me senti muito mais só do que agora. 

Esta foi a última grande conquista da minha vida e a que me soube melhor alcançar. 

A ouvir 

converse connosco...

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s