a great big world, filosofias existenciais, natural como só eu, palavras, Ser

Do meu sexto sentido (I)

Sinto-me órfã de banda sonora. Parece que me falta alguma coisa quando ando assim, sem grande entusiasmo pela música que se ouve numa determinada altura. Os meus clássicos continuam a ter a mesma importância na minha vida, mas tal como o ser humano necessita de sonhar e criar, eu gosto da sensação de ouvir uma música nova ou algum novo ( ou antigo) cantor com uma nova canção, que seja como bálsamo para o meu ouvido. Por agora sinto-me órfã, o que pode só querer dizer que necessito de ouvir mais musica do que a que tenho ouvido nos últimos dias. Há no entanto em mim a sensação que algumas épocas são mais criativas que outras e estas geralmente coincidem com momentos de maior felicidade geral. Suspeito que os próximos meses não irão ser fáceis para o ( nosso) mundo. Ou isso ou é só aquele sexto sentido que anda com o GPS avariado. 

Anúncios