A beleza está em nós, a educação ao próximo, da nossa vida, filosofias existenciais, palavras, receitas para viver melhor, Ser

Sensação do dia (XVI)

Tenho,muitas vezes, de parar para pensar. Necessárias. Essenciais, até, diria, essas paragens. Gosto de autenticidade e isso tem-me custado caro. Por muitos motivos. Erros que se cometem servem, essencialmente para que se aprenda algo com eles. Mas quando a vida teima em deixar-te suspensa no limbo do nem vai nem vem, nem para a frente nem para trás, acabas por te questionar o que raio andas cá a fazer e para onde queres ir a seguir. A ausência total de objectivos ou até de sonhos realizáveis que me pareçam viáveis para me sentir realizada em algo mais do que não seja a maternidade é por vezes desesperante. Mas o consumo psicológico e físico que é ter constantemente que estar a planear dias, semanas, fins de semana, planos de gestão de tarefas e da economia mensal deixa pouco espaço para tudo o resto. Fica a projecção para o futuro e o constante adiamento disto ou daquilo que se gostaria de fazer. E assim se passam anos e meses em que os momentos de pura paz e felicidade fora da maternidade que apazigua e consola mas esgota são os que passo em silêncio. Dou por mim a perceber completamente a paz dos eremitas.

Fora isso e saindo directamente da porta que dá acesso ao interior para a vida real:

Custou mas foi! Foi hoje

A primeira Vitória!

Anúncios