a great big world, da nossa vida, filosofias existenciais, músicas da minha vida, Memórias, natural como só eu, Ser

Silent night

A Zita está doente, a Benedita fez finalmente as pazes comigo ( nem cheguei a perceber porque nos chateamos, mas a psicologia desta gata é para mim um mistério a desvendar todos os dias).

O Natal passou com a cantoria do costume e a minha cabeça anda a mil com todos os novos projectos e as mil e uma coisas que deixei atrasar neste tempo em que só pensar já era um esforço tremendo ( logo eu que tenho tanta dificuldade em desligar o botão dos pensamentos) .

Esta é a fase mais difícil, acreditem. Ter que equilibrar a balança e estar constantemente a por travão para não deixar que a cabeça sacrifique o corpo. Ter mil e uma coisas que se quer fazer e saber que não se pode, nem tão pouco se deve exigir demais. É uma autêntica luta interna entre o querer, o fazer e manter o equilíbrio da razão. Um esforço enorme entre prioridades, importâncias, significados, matemáticas e problemas existenciais. Às vezes sou um enigma para mim, outras vezes a minha maior inimiga mas sem dúvida a minha maior controladora pessoal. Vivo numa ditadura interna e o pior é que esse é o meu maior motivo de orgulho: a minha capacidade de autocontrolo.

Se não me destruir um dia ainda vou ser conseguir sentir-me orgulhosa do meu eu

Entretanto está frio…

Boa noite e esta música. Façam silêncio, por favor, para não me distraírem do essencial…

Anúncios

converse connosco...

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s