A beleza está em nós, a educação ao próximo, a great big world, da nossa vida, Domingos em família, filosofias existenciais, litoral alentejano, músicas da minha vida, natural como só eu, palavras, receitas para viver melhor, Ser

Música do dia (X)

Esta https://youtu.be/z9BPMjL44Aw Com um dia de atraso após mais 16h de trabalho. Dedico-vos a vocês, Rodrigo, Hugo e Lucas, depois da nossa conversa de Domingo. Traduzam a letra porque é exactamente isto que vos quis dizer. Já agora e nem de propósito, o vídeo pretende mostrar emigrantes, da altura da grande depressão que vos falei,… Continue reading Música do dia (X)

Anúncios
A beleza está em nós, a educação ao próximo, a great big world, Domingos em família, filosofias existenciais, livros que leio, natural como só eu, palavras, receitas para viver melhor, Ser

Desta coisa da sesta

23h. Após ter feito as minhas leituras diárias, de ter passado um dia inteiro praticamente a dormir ( não sei há quanto tempo não dormia tantas horas seguidas sem acordar ou ser acordada) depois de ter feito o jantar e arrumar a cozinha, tenho uma dor de cabeça incrível devido ao consumo abaixo da média… Continue reading Desta coisa da sesta

A beleza está em nós, a great big world, da nossa vida, Domingos em família, Fotografia, natural como só eu, Poesia, rir é o melhor remédio, Ser

Alguém me diz o que se passou além do desporto, este fim de semana??? 

Empatámos, ganhámos e perdemos. Um fim de semana em que só me lembrei de casa para dormir. Um turbilhão de emoções e algum nervosismo à mistura. O único jogo que foi ganho foi o único em que não ficou claro o merecimento.  Falo do "meu" HCPG, em séniores e escolares e dos sub-17 do grandolafoot.… Continue reading Alguém me diz o que se passou além do desporto, este fim de semana??? 

A beleza está em nós, a educação ao próximo, a great big world, da nossa vida, Domingos em família, Fotografia, natural como só eu, palavras, receitas para viver melhor, rir é o melhor remédio, Ser

Para o ano há mais 

Estou cada vez mais parecida com a gata borralheira. Não que me transforme à meia-noite ( até podia... mas é melhor não) ou que tenha perdido algum sapato de cristal, mas porque os meus momentos mais felizes, ultimamente, são passados na minha casa ( quando cá estou é indispensável ter o borralho aceso) . Caramba,… Continue reading Para o ano há mais