Alguém me diz o que se passou além do desporto, este fim de semana??? 

Empatámos, ganhámos e perdemos. Um fim de semana em que só me lembrei de casa para dormir. Um turbilhão de emoções e algum nervosismo à mistura. O único jogo que foi ganho foi o único em que não ficou claro o merecimento. 

Falo do “meu” HCPG, em séniores e escolares e dos sub-17 do grandolafoot. Bom, na verdade, já vi a equipa de futsal a jogar melhor mas também já os vi a ganhar com equipas que jogavam bem melhor. Isto para concluir que a vida é tramada, nem sempre nos dá o que merecemos e nem sempre merecemos o que nos é dado. Ainda assim à que vivê-la sem baixar os braços, sem desistir, sem nunca deixar de procurar, de insistir em procurar o que nos falta, o que nos faz falta

“… cada vez que o Homem sonha, o mundo pula e avança, como bola colorida, entre as mãos de uma criança…”   António Gedeão

Terminámos o Domingo com vista para a Arrábida, cansados e pensativos ( à excepção do Afonso, claro, que pensa em voz alta e sempre com a turbina ligada. Ps: este miúdo ainda vai “arrumar” com o pouco que sobrou da minha energia! Alguém sabe de algum – bom – carregador de humanos???) . 

É bom ter um adolescente sereno em casa para contrastar com o excesso de energia do pré-adolescente. Talvez seja apenas mais uma forma que a natureza encontre para procurar o equilíbrio ( mais que não seja o meu) . 

E que “coisas femininas” fizeste tu este fim de semana, perguntam vocês? Bom, fui mãe e chegou para preencher todos os minutos dos dias. 

Entrar a direito

Apesar de meio ressacada da moléstia de início de ano, do cansaço do qual só me devo livrar lá para meados de Fevereiro, e da vontade de me encerrar para balanços dentro da própria concha, a verdade é que, mesmo ausente por incapacidade, do local de trabalho, durante um dia, esta cabeça é incapaz de parar ( haja paciência!) .

Tenho inúmeros pequenos projectos de recuperação de lixo. Coisas que iriam ser desperdiçadas e se tornarão úteis – uma forma fácil e barata de reciclar e decorar o ninho. Cá em casa, como na casa de qualquer mulher, penso eu, nascem bijuterias aos cantos como se fossem cogumelos. Organizar toda esta quinquilharia é uma missão impossível, ainda assim, vou tentando conforme posso, dar alguma ordem ao caos. 

As garrafas de iogurte, prontas a irem para o lixo serviram em cheio para espetar, em jeito de mostruário, os brincos e agora que vi que resultou, só falta dar-lhes cor para ficarem mais bonitas. Como esta várias outras ideias esperam dar nova vida a plásticos, cartões e à quantidade de lixo que produzimos por dia, numa tentativa, talvez mínima, mas bem intencionada, de aumentar a minha pegada ecológica.  

Talvez esteja demasiado focada nesta necessidade básica que tenho de poupar e na dificuldade que tenho tido, nos últimos anos, de satisfazer a minha veia consumista e conseguir poupar. Nada fácil já vos digo! Mas tendo em conta que tenho que gerir a vida de 3 almas todos os meses, melhor ou pior a coisa foi-se dando…

A melhor das minhas compras, a que mais me satisfez, foi a minha própria prenda de Natal. Mandei vir pela net da UE ( sim, porque estou farta de estrafegos na alfândega) uma smart box a metade do preço daquele que se vende no nosso país ( alguém tem que dizer aos nossos governantes que com o mercado livre na UE só paga os impostos com as percentagens doidas que eles impõe ao consumo, quem não sabe o que anda a fazer. E já agora, avisem também as grandes marcas que o preço se deve fixar através da oferta e da procura e da qualidade do produto e não baseado no ” nome da marca” – mas isto também há muita gente que tem que aprender) . Ora ia eu dizendo que juntando esta prenda de Natal à do ano passado, com mais ou menos 140 euros consegui uma smart tv para o meu querido quartinho, onde posso estar a usufruir no descanso do meu leito  da Netflix/youtube/spotify sem ter que expulsar os miudos do pc ou estoirar os olhos no telemóvel. O único problema é que a velocidade da internet não é muito satisfatória, mas só percebi isso agora e já estou em campo para resolver esse problema. 

Fazer compras inteligentes, nem sempre é fácil, mas é uma necessidade. Isso e perceber de fiscalidade para compreender todas as formas possíveis que existem de nos irem ao bolso. Hoje em dia, não há desculpas para nos deixarmos ficar! 

Receitas caseiras para curar malazengas

Das coisas estranhas que me acontecem e da forma que por incrível que pareça consigo encontrar algo de mim em certas frases feitas:

E sim, já estou melhor. Depois de umas litradas valentes de chá de barbas de milho, pezinhos de cereja e sementes de linhaça, desapareceu o peso abdominal e a minha paixão assolapada pela casa de banho. Mas ainda me apetece estar bem fechadinha na minha concha protectora e descansar do cansaço das “festas” 

E pronto estão definidas as metas para 2018!