Um até sempre

Dita-me a minha consciência o dever de prestar a última homenagem e de vos comunicar o falecimento do meu primo José Raposo Nobre que mantinha há vários anos o blogue Viver Alvalade.  Com os seus 88 anos, o primo José, de espírito jovem, actualizava frequentemente o seu blogue dando conhecimento aos Alvaladenses e portugueses espalhados pelo país e pelo estrangeiro as novidades deste canto do Alentejo. 

Quando escreveu o seu último post há 6 dias, estava longe de imaginar que seria o último. Ele e nós.

 Apesar de casado com uma prima minha foi através da blogosfera que melhor o conheci. Fã da minha poesia, sempre que me encontrava insistia para que voltasse a escrever poesia, lembrando-me sempre que o meu livro era o seu livro de cabeceira. 

Não deixou nunca que as novas tecnologias o assustassem e usou-as para se aproximar de nós e do mundo. Um exemplo para a sua geração e para a minha. 

Hoje a blogosfera ficou mais pobre, eu fiquei mais pobre, a minha família ficou mais pobre, Alvalade e o Alentejo ficaram mais pobres. Porque são necessárias as pessoas que nos ligam às nossas raízes, às nossas tradições. São elas que nos lembram o que somos e evitam que sejamos engolidos pela globalização.

Um até sempre meu primo e bem haja por todo o incentivo que sempre me deu. 

O senhor o receba na luz da sua presença

O último parece que se tornou no melhor 

E quando damos por isso já é Dezembro. Sim, o tempo passa a correr e talvez por isso passemos a maior parte do tempo cansadas. Corremos com ele. 

Durante muito tempo foi o Verão a minha estação favorita mas desde que fui à neve desenvolvi uma paixão avassaladora pelos dias brancos. Era capaz de me sentir feliz num natal assim, cheio de neve. Por aqui neve nem vê-la. Sol, muito sol e algum frio ( a conta da electricidade vai começar a acusar a família friorenta que somos e a nossa necessidade imprescindível de um ambiente quentinho). A lareira passa o dia acesa quando estou em casa. Infelizmente Dezembro significa também, quase sempre, mais trabalho ( as pessoas têm este hábito de ficar mais doentes por esta altura, que se pode fazer?) . Assim sendo, férias nem vê-las. Terei a véspera e o dia de Natal,  para passar depois, o ano de serviço. 

Dezembro serve para ser feliz. É mais do que tudo um estado de espírito. O consumismo aliado à enorme vontade que tenho de estar em casa e fazer os preparativos. Casa decorada, muita luz a piscar por todo o lado, lareira acesa, velas e mais velas… sou, sem dúvida, feliz em Dezembro. 
Sou ainda mais feliz desde que o Pinterest anda a contribuir para dar largas à minha imaginação. Tenho duas mãos esquerdas, péssimo jeito para trabalhos manuais mas tenho vontade e gosto por inventar. Tenho poupado muito dinheiro em decoração com a ajuda do pinterest para além de reciclar coisas que o único destino seria o lixo. E pelo que dizem os meus filhos nem está a ficar mau de todo. Além disso, enquanto invento, sinto uma satisfação que já não sentia há muito tempo. Terapia ocupacional no seu melhor. Até já fui desencantar a máquina de costura ( é de rir) . 

Dezembro fecha as portas a um ano mas abre janelas para o que aí vêm. E nós por cá estamos 🎅. Até já tenho as prendas todas compradas, o que, tendo em conta que sou menina de véspera, me faz sentir bastante responsável ( quem diria que um dia ia mesmo ficar adulta!) 😂😂😂😉